Alfredo Henrique Oscar Schürig

Alfredo Henrique Oscar Schürig nasceu em Rio Claro (SP) em 11 de junho de 1884, filho de Oscar Schürig e de Maria Blummer Kuntgen, imigrantes alemães que chegaram a Jundiaí no século XIX. Relatos feitos pelo cronista Lourenço Diaféria conta que herr Schürig ganhava o sustento da família tocando piano à noite em bares de São Paulo. Seu filho, o jovem Alfredo, um “vendedor de praça”, teve mais sorte: ficou milionário após adquirir um bilhete premiado da Loteria do Estado de São Paulo.

Ao lado do irmão Walter Arno, Alfredo aplicou o dinheiro na Fábrica Nacional de Parafusos Santa Rosa que fabricava ferragens diversas, principalmente durante a I Guerra Mundial, abastecendo todo o mercado nacional, devido às dificuldades de importações da Europa. Após vender a fábrica a empresários ingleses, em 1930 tornou-se sócio da Casa Schill, uma das pioneiras no comércio de ferragens na afamada Rua Florêncio de Abreu.

Ambos os irmãos Schürig residiam em São Paulo, entretanto passavam os feriados e fins de semana em suas chácaras em Jacareí, onde Alfredo, homem pacato e bem humorado, conheceu e desposou Francisca de Siqueira (Chiquinha Schürig), moça da sociedade jacareiense. Desta união nasceram três filhos: Adelaide, Maria (Santinha) e Alfredo Filho.

O Mecenas

Além de milionário, Schürig era um homem generoso, presenteando Jacareí com alguns empreendimentos na área esportiva/cultural. Em 1920 construiu um campo à beira rio para o “Esperança Foot Ball Club” e um ano depois lançou a pedra fundamental da futura sede social na Rua do Rosário. Após a extinção daquele clube em 1933, o campo foi transferido para o “Ponte Preta Futebol Clube” e em 1942 a sede social passou a abrigar o Trianon Clube.

Cidadão benemérito, auxiliou a Santa Casa com importantes doações em dinheiro e equipamentos. Colaborou, também, com a Igreja Matriz e as Festas da Padroeira. Aos jacareienses mortos na Revolução Constitucionalista de 1932 doou o mausoléu localizado no cemitério municipal. Apesar de sua forte atuação no cenário municipal, sempre esteve longe das lides políticas, jamais aceitando ocupar qualquer cargo na administração pública.

A cidade, em agradecimento, em 10 de setembro de 1921 deu o seu nome à antiga Rua do Rosário, sendo também agraciado com os títulos de Cidadão Jacareiense e nomeado “Apóstolo da Caridade” por suas contribuições à igreja.

Na capital paulistana, Alfredo Schürig ficou conhecido por sua atuação junto ao Sport Club Corinthians Paulista, onde foi considerado um verdadeiro mecenas. Participou na construção dos dois primeiros estádios do clube, o primeiro na região da Ponte Grande. Em 1926 “emprestou” dinheiro para quitar dívidas pela aquisição de grande área no Tatuapé onde foi construído o Parque São Jorge e o estádio “Alfredo Schürig”, mais conhecido como Fazendinha. Presidente do clube na gestão 1930/1033, impulsionou as atividades poliesportivas, principalmente as regatas no Tietê, época que a âncora e os remos passaram a fazer parte do escudo do “Timão”.

Alfredo Schürig faleceu precocemente, em 30 de janeiro de 1941, aos 56 anos, no Hospital Santa Cecília, em São Paulo.

Inauguração da Rua Alfredo Schurig (antiga rua do Rosário)
Chácara de Alfredo Schurig (atual EducaMais São João)
Chiquinha, Alfredo Filho e Alfredo Schurig

6 Replies to “Alfredo Henrique Oscar Schürig”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *