23/06/2016   Mobilização

Evento começa às 10h na Praça do Rosário e segue por vários pontos da cidade

A violência contra a mulher é tema de uma mobilização neste sábado (25) em Jacareí. O evento é organizado pelo Coletivo de Mulheres Negras Nandi e conta com o apoio da Prefeitura de Jacareí, OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), ONG Espaço Mulher, Conselho Tutelar e Fundação Cultural de Jacarehy José Maria de Abreu.


Intitulada “Ato Por todas Elas - Pelo fim da violência contra as mulheres”, a mobilização envolve passeata que começa às 10h na Praça Barão do Rio Branco (Praça do Rosário), onde ocorrem intervenções artísticas e manifesto com microfone aberto até às 13h. As intervenções artísticas continuam pelo trajeto: Praça Conde de Frontin, Pátio dos Trilhos, Parque da Cidade, Mercado Municipal e culmina no CRAU (Centro de Referência de Arte Urbana), no Parque dos Eucaliptos.


“É importante destacar que embora tenha à frente o Coletivo de Mulheres, não é um evento só para mulheres, mas para toda a sociedade, que é chamada a se mobilizar contra a banalização da violência à mulher. É preciso que as pessoas não vejam o problema como uma coisa normal, rotineira”, alerta a cantora e ativista Dany Krioula, fundadora do Coletivo.


“Não podemos mais fechar os olhos para este problema. Essa cultura de que a mulher tem de sofrer calada, dentro de casa, sem atrapalhar ninguém. Porque quando ela grita é um problema para os parentes, para a igreja, para a sociedade, para a polícia”, enfatiza.


A diretora de eventos da Fundação Cultural de Jacarehy, Cristina Quina, reforça que a mobilização não deve ser vista apenas como a expressão de um grupo de mulheres, mas de toda a sociedade. “Inclusive dos homens. Não é uma questão de gênero. É um momento para todos manifestarem sua indignação com uma sociedade que banaliza a violência contra a mulher. De tornar explícito um problema que é camuflado, fruto de uma cultura machista que envolve desigualdade salarial, estupro e violência doméstica”.


Ela avisa que os participantes podem levar cartazes, faixas, vestir camisetas e bonés. Mas que na concentração, na Praça do Rosário, haverá uma oficina que vai ajudar os participantes a confeccionar cartazes e “pintar a cara”. No local haverá ainda um ‘varau‘ para que os participantes possa expor seus poemas e poesias sobre o tema.