02/08/2015   GASTRONOMIA

Conheça a história do nosso Mercado Municipal

Para muitos jacareienses já é uma tradição passear ou fazer compras no Mercado Municipal, o popular Mercadão. Na mais antiga central de abastecimento da cidade pode-se circular pelas tradicionais bancas de frutas e verduras e desfrutar dos mais diversos aromas e cheiros. Além delas, outros boxes comerciais oferecem os mais variados produtos, desde legumes vindos da roça ou bugigangas recém-chegadas da China.  

Mesmo com a concorrência dos modernos supermercados, onde se poderia, num único local, fazer compras e ainda degustar o bolinho caipira do Zequinha, o caldo de cana do seu Paulo ou o pastel do senhor Sung? O Mercadão tornou-se, pois, uma atração turística da cidade, há tempos uma parada obrigatória. Você sabe como tudo começou? Eis a história:

No final do século XIX, por volta de 1880, faziam-se compras numa feira a céu aberto no antigo Largo da Quitanda (Largo do Riachuelo) e ali pequenos comerciantes, seus produtos, porcos e galinhas, todos ficavam sujeitos às intempéries do tempo. Foi então que o vereador Salvador de Oliveira Preto projetou e propôs a construção de um mercado municipal, uma obra considerada faraônica e que seria construída numa rua com trechos alagadiços que ligava a antiga Rua de Baixo (Rua Luis Simon) à estação ferroviária. Na mesma época, projetou-se o alargamento do Beco do Teatro, logradouro que ligaria o futuro mercado à região da Matriz. Formaram-se, assim, duas grandes vias comerciais da cidade, a rua Dr. Lúcio Malta e a avenida Cel. Carlos Porto.

O terreno do futuro mercado recebeu inúmeros aterros e o prédio, feito de taipa, possivelmente seja o primeiro edifício público da cidade, já que os demais imóveis eram alugados.  Com recursos escassos, a obra só foi concluída em 1906. O mercado era diferente do atual, pois a parte central era totalmente descoberta e destinada aos mais pobres, vindos da roça e que não tinham condições de pagar as taxas dos pequenos cômodos comerciais, fechados com porta e janela, que abrigavam em seu interior um balcão e algumas prateleiras.

Na década de 1920, o mercado recebeu melhorias, ocasião que sua fachada foi revestida com tijolos aparentes. Em 1959 o antigo prédio foi demolido e o novo mercado só foi entregue à população em 1962. Durante o período em que ficou fechado, o centro de compras voltou ao Largo do Riachuelo que, naquela época, costumava receber parques e circos. 

O atual prédio ainda é o mesmo. Um cinquentão que vem recebendo constantes obras estruturais e de revitalização e que em breve ganhará uma nova fachada.

O Mercadão abre suas portas todos os dias às 7h. De 2ª a 6ª feira fecha às 18h; 16h aos sábados e 12h aos domingos.